4.9.08

Eu quero ter um filho.
Quero ter uma vida que dependa da minha para existir. Quero ter alguém a quem dedicar 100% do meu amor, do meu tempo, do meu carinho, da minha ira, da minha energia... da minha vida, do meu tudo.
Quero ter um filho e quero que ele seja corajoso. Um homem decidido. Que queira e consiga mudar o mundo, ou que morra tentando. Quero que ele seja tudo que eu não tenho conseguido ser, mas não de modo a depositar nele a responsabilidade de realizar meus sonhos, mas sim de ter mais orgulho dele que a qualquer coisa. Olhar para ele e ver nele um grande líder, uma pessoa a que todos respeitam e ouvem.
Ele vai fazer suas escolhas, e pode escolher ser professor de educação física, ou técnico em informática; pode ser que ele se descubra homossexual, ou bissexual; ele pode optar por ser fuzileiro naval, ou engenheiro náutico; Ele poderá ser o que quiser, não vou odiá-lo por isso, pelo contrário: vou amá-lo mais ainda porquê ele se decidiu e conseguiu ser o que queria ser; por mais medíocre que possam parecer suas escolhas, são as escolhas que ele fez para si. E eu vou apoiá-lo.
Pode ser que ele tenha um filho com 15 anos, e não querer prestar vestibular... Que vire usuário de drogas ou alcólatra, pode ser que ele seja viciado em video game... Que ele se apaixone por uma golpista e fuja com ela antes de terminar o ensino médio... Ele pode cair em todos os buracos que a adolescência reserva aos viventes dessa época mesmo que tenha quem ajude-o e converse com ele. Não será culpa minha, mas ainda assim farei tudo, e tudo para que ele consiga se erguer, e quando ele conseguir também não será mérito meu, e sim dele que conseguiu levantar-se.
Quando ele estiver sofrendo eu vou consolá-lo. Quando estiver feliz por suas conquistas eu vou observar de canto sua alegria e rezando baixinho um agradecimento á Deus por ele poder viver aquilo;
Eu viverei em função dele sem esperar o mesmo de sua parte.
Eu quero um filho que tenha consciência, que batalhe, que lute! Eu quero um filho que todos sintam falta quando se for. Assim como eu, que dedicarei minha vida á ele, sentirei.

3 comentários:

Junior Matos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Junior Matos disse...

e o que a maoria das mães
pensam.
nem todass neh
mas uma boa parte :D

Clarice caldas disse...

Isso tudo que li foi muito lindo,pena que ouvi tudinho e soube do conteúdo todo desse texto sem ao menos ter lido a ele antes.Isso cheira a Filosofias de Claudiovone,as mais certas,mas sei lá,acho que cansei delas.Deve ser por isso que não as obedeço mais.
Mas o texto tá lindo e muito bem escrito,como sempre.Enfim,também quero um filho,e quero dar tudo o que não tive,seja material ou nao,não importa vou dar.
É isso aí,beijo.


p.s.:Não entendeu?Ah,seja mais insana da próxima vez.Hehe.