8.2.10

Viagem ao inferno.

Foi ao inferno, ficou idiota e voltou.

Sorrindo com o canto da boca não percebeu a agonia que se abatia sobre o outro pelo medo de perde-lo para o inferno de uma vez por todas. Para nunca mais.

Quando finalmente recuperou a consciência, após a fumaça ter se dissipado por completo, descobriu que a dor do outro fora tamanha que adormecera afogando-se em suas próprias lágrimas. Então no fundo da escuridão com a fumaça voltando a subir, descobriu o verdadeiro passaporte para o inferno. Perder quem temia perdê-lo, era pior que qualquer viagem que já tivesse feito às profundezas de sua inconsciência. Descobrira finalmente a identidade do inferno na ausência de quem lhe queria.

4 comentários:

Daiana Costa disse...

Eu acredito que o inferno seja a tristeza encrustada nos olhos. E não a raiva.

Gosto quando aparece, é sempre uma boa surpresa. (:

Priscila Costa disse...

oi, você lê pensamentos ?

Sentimental ♥ disse...

a ausência é sempre amarga...

Ferdi disse...

Compreendo, oh se compreendo :/
E, OBRIGADA, que bom que gostou, fico mesmo feliz.
Voltarei aqui também.